image
  • AVE $1,538
  • OTS 5,000

Sector financeiro deve estar preparado para desenvolver a economia 4.0

  • Expansão
  • Imprensa
  • 11/22/2019
  • 3 min

Sector financeiro deve estar preparado para desenvolver a economia 4.0 A implementação da economia 4.0 passa pela aposta na educação, em infraestruturas para penetração de internet, comunicação social, financiamento do sector e desenvolvimento de outros motores. O Estado deve criar instituições de apoio, criar legislação e programas direccionados para o sector. Mirene da Cruz Os players do ecossistema digital consideram que Angola pode alcançar resultados positivos na implementação da economia 4D ou a 4ª revolução industrial, se apostar na educação, comunicação social, financiamento, instituições de apoio e incubadoras e se tiver empreendedores capacitados para desenvolverem os projectos. O CEO do Acelera Angola, incubadora de micro e pequenas empresas, que falava na abertura da Semana Global de Empreendedorismo Angola 2019. disse que. aos poucos e de uma forma crescente, as empresas vão surgindo já digitais, como é o caso das startups que existem no País. assim como o e-commerce e os meios de pagamento electrónico. "Estamos no principio e há um longo caminho a percorrer" assumiu José Carlos dos Santos. O CEO do Acelera Angola, disse que a penetração da população que utiliza a rede base móvel já é de 50%, ao mesmo passo que se vão criando meios de pagamento digitais e o e-commerce vai ganhando adeptos. José Carlos dos Santos apontou o LISPA, aceleradora fintech voltada para pagamentos, serviços financeiros tecnológicos que "podem aportar um valor acrescentado e diferencial ao mercado". Trata-se de um projecto do BNA, em parceria como Ministério de Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, implementado pelo Acelera Angola, cujas candidaturas terminam no dia 24 de Novembro de 2019. A adida cultural adjunta da Embaixada Americana em Angola. Nafissa Allen, considerou que "a digitalização de qualquer negócio é incontornável, se quiser estar em alta nos próximos anos". Advertiu, no entanto, que "o processo necessita de um percurso bem preparado na base para que depois se escale para o topo". Nafissa Allen apresentou o "Quem quer ser Empreendedor" em Angola. O programa vai seleccionar cinco startups, que vão receber 10 mil USD, cada uma. E proporciona uma oportunidade de crescimento para as startups que, em pouco tempo, contam com grande apoio tecnológica António Nunes defende que o País deve estar preparado para processara economia 4D. Para a quarta revolução industrial. Angola vai precisar de ter Data Center, fibra óptica e know-how, frisou o CEO da Angola Cables, que falava no Fórum do Mercado de Capitais, subordinado ao tema "Capitalização da economia 4.0 via mercado decapitais". "Estas são as infra-estruturas base para a economia 4.0. diria mesmo que são cruciais, que sem elas não conseguimos ter a 4.a revolução industrial", disse. Para preparar o quadro para a economia 4.0, a Angola Cables trabalha no sentido de desenvolver o panorama africano, estando já a alimentar e fornecer a Angola "conectividade de alto débito e de alta qualidade" pelo SACS e Monet "O que queremos é inserir Angola no mercado mundial das comunicações para que os players possam ver no País uma oportunidade", afirmou, notando que a empresa"é um dos participantes desta mudança".